14 de março de 2016

Olimpíadas 2016: Exposição Esporte Movimento

Essa semana tive o prazer de visitar a exposição Esporte Movimento hospedada na Caixa Cultural em Salvador.
Entrada da exposição.
A exposição, realizada em homenagem aos Jogos Olímpicos no Brasil, é fruto do recorte do acervo pessoal do brasileiro nascido em Manaus, Roberto Gesta de Melo, que dentre outras atribuições, é representante sul americano no Conselho da Associação Internacional das Federações de Atletismo - IAAF. O acervo é parte da coleção pessoal de Gesta e conta com 447 peças separadas dentre os mais de 70 mil artefatos esportivos originais [poderoso!].
Tochas de algumas edições dos Jogos Olímpicos.
Fiquei muito feliz em poder aproximar-me dessa parte da história do esporte que, para mim, é tão alheia [sou uma quase sedentária, salva pelas minhas pedaladas diárias, e totalmente analfabeta em relação a qualquer esporte!]. A exposição começa com a tocha dos jogos olímpicos realizados no México em 1968 e, a boa notícia é que ela pode ser tocada. Sim! Podemos pegar nela!
Tocha original dos Jogo Olímpicos do México de 1968.
Olha o detalhe dessa tocha: tem o nome da cidade sede e o ano gravado!

Em seguida pode-se ver em exposição todas as tochas de jogos olímpicos realizados em todo o mundo e, confesso, é lindo de se ver. Elas são bonitas, expressam o talento de quem as desenhou e passam a emoção de todos que as carregaram!
Fiquei empolgada e já quis carregar a tocha dos jogos olímpicos de Londres/2012
Tochas olímpicas da esquerda para direita: Seul/1988; Sidney/2000; Nagano/1998 [jogos de inverno]; Montreal/1976; Los Angeles/1984; Beijing/2008; Torino/2006 [jogos de inverno].
Ao longo da exposição também se vê as publicidades de cada edição das olimpíadas. É um cartaz mais encantador que o outro!
Os cartazes da exposição são lindos. É incrível como olhar cada um nos reporta à história, ao contexto e nos faz tentar reviver as olimpíadas da época.
Alguns dos cartazes que achei mais interessantes.
No piso superior há outras peças como selos, medalhas, moedas, troféus, bolas, camisas, chuteiras, fotografias, além de uma seção dedicada ao Brasil e os atletas que ais se destacaram como João do Pulo, Adhemar Ferreira, Alan Fonteles [paraolímpico] e Fabiana Murer.
Medalhas de várias edições de olimpíadas, entre elas a do Pan-Americano Rio/2007, Pan-Americano de Guadalajara/2011 e do Mundial de Atletismo de Doha/2010.
Bolas de futebol.
Da direita para esquerda: par de chuteiras para prática de rugby e futebol; chuteiras francesas da marca Hungaria, 1950; chuteiras da marca Hungaria do início do século XX.
Camisetas originais de Adhemar Ferreira da Silva na conquista da medalha de ouro no salto tripo nas olimpíadas de Melbourne em 1956. 
A exposição já passou pelas cidades de Fortaleza, Recife, São Paulo, Brasília, Curitiba e agora fica em Salvador até dia 24 de abril, de terça à domingo. Conta com painéis escritos em braile, assim também os deficientes visuais podem interagir e ficar mais perto do esporte olímpico. Ah, se aparecer por lá, não esquece de fazer uma foto e postar nas redes sociais com a hashtag #esportemovimento.
Painéis em braile para deficientes visuais.

Aproveite para mergulhar nesse mundo do esporte!