17 de janeiro de 2016

Turista em Salvador, BA: passeio de Escuna!

Neste verão eu decidi ser turista no meu estado, a Bahia. Faz algum tempo que passo a temporada em Salvador, então comecei a explorar a capital. Uma das atrações foi fazer um passeio de escuna pela Baía de Todos os Santos. O meu primeiro passeio assim foi em Paraty, Rio [veja aqui] e, há muito tempo, queria experimentar este de Salvador. Conto para você os detalhes.
A escuna parte do Terminal Turístico Náutico da Bahia, no bairro do Comércio; é bem pertinho do Elevador Lacerda e do Mercado Modelo. Saímos por volta das 9h e, pelo passeio paguei R$ 65,00, pois fui com um grupo de conhecidos, mas soube que o preço normal é R$ 90,00. A embarcação que fui tinha capacidade para 170 passageiros, mas haviam apenas 70 [maravilha!].
Vista do Terminal Náutico no Comércio [este prédio amarelo].
Parte interna da escuna. Por ter menos pessoas, havia bastante espaço para locomoção, mas acho que quando está lotada, a locomoção é péssima.
Durante o passeio há um guia explicando toda a história que permeia a Baía de Todos os Santos. Até a primeira parada navegamos por 1:30h e podemos admirar a vista da cidade que é um encanto à parte.
Vista da Cidade Baixa em Salvador desde a escuna.
Vista da cidade e, em destaque, o Forte de São Marcelo.
Vista da Ponta de Humaitá em Boa Viagem: a construção branca é o Forte Monte Serrat e a cinza, mais na ponta, é a Igreja de Monte Serrat. De lá é possível ver o pôr do sol mais lindo de Salvador..
A primeira parada é na Ilha dos Frades na Ponta de Nossa Senhora de Guadalupe. A ilha recebeu este nome porque no século XVII houve um surto de cólera em Salvador e todos os doentes eram levados para a ilha, a fim de serem cuidados pelos frades mexicanos.
Esta casinha é o cais que está sendo finalizado, e seu telhado tem forma de estrela. As fotos estão um pouco escuras porque neste dia choveu muito! Mesmo assim não desisti do passeio e valeu a pena.
Por causa da reforma do cais, todos desembarcaram em pequenos barcos à motor que nos levavam da escuna até a praia. Na praia o cenário é turístico, porém muito bonito: uma pequena extensão de areia, algumas barracas e uma linda recepção do mar. Mesmo com a chuva, as águas convidavam para gostoso um mergulho.
Visão geral da Ponta de Nossa Senhora de Guadalupe, que tem apenas 42 moradores.

Depois de caminhar pela praia e pela passarela de pedras, encarei os degraus para ver a vista na frente da Igreja de Nossa Senhora de Guadalupe, erguida pelos frades mexicanos no século XVII, e está totalmente reformada. Na verdade não são muitos, mas se tiver preparo, cansa um pouco. Lá de cima a vista é perfeita!
Escadinha até a Igreja de Nossa Senhora de Guadalupe, padroeira do México.
Igreja de Nossa Senhora de Guadalupe.
Vista da Ponta de Nossa Senhora de Guadalupe.
Na frente da igreja existem banquinhos de madeira para descaso e admiração da vista local. Não incluso no roteiro turístico, há uma pequena trilha de terra em frente à igreja que leva a uma parte mais baixa do morro e proporciona uma vista ainda mais linda da ilha, em que podemos vê-la de outros ângulos. 
Uma das vistas da ilha logo após descer a trilha.
Uma coisa bacana a ser ressaltada é que Ponta de Nossa Senhora de Guadalupe foi escolhida como praia piloto do Programa Bandeira Azul, a fim de obter o selo de qualidade ambiental. Por esse motivo o lugar é bem organizado, limpo e oferece uma infraestrutura altamente aceitável.
fazendo pose. Camisão e óculos Riachuelo; bolsa C&A.
Ficamos por, aproximadamente, 1h na Ponta de Nossa Senhora de Guadalupe e seguimos para a próxima parada: Ponta de Areia na Ilha de Itaparica. Neste lugar a parada é mais longa, pois é vendido o almoço e, quem quiser, pode aproveitar a praia. O desembarque da escuna até a praia também foi feito com barquinhos à motor, mas em Ponta de Areia não há cais.
Desembarque em Ponta de Areia.

O restaurante é grande e tem menu para comer à vontade pagando o preço fixo de R$ 35,00/pessoa. Há uma grande variedade de comida baiana, além de sobremesa típica [geralmente doces] e cafezinho incluso no preço.
Na praia em que paramos só há este restaurante, sem barracas ou outra construção.
Depois do almoço, embarcamos de volta nos barquinhos e chegou a hora de voltar para Salvador. Atracamos no terminal por volta das 17h. Terminado o passeio, tiro minhas conclusões e dou minha opinião a respeito de alguns pontos que valem a pena serem descrito:
Opinião: pontos negativos do passeio:
1. Sinceramente, achei que o passeio tivesse três paradas, pois assim daria para aproveitar mais. Informei-me com um amigo que é guia de turismo e ele disse que há muito tempo atrás o passeio incluía a Ilha de Maré, mas foi retirado.
2. Achei o passeio caro, considerando o valor de R$ 90,00. Nele estão incluídos apenas o serviço de frutas durante a manhã, mas todo o resto é pago pelo passageiro. Se comparar com Paraty, é melhor pegar um avião e curtir o passeio lá, pois as despesas em Paraty são bem menores quem em Salvador.
3. Não há outra opção para quem não quer almoçar na parada em Ponta de Areia. Se não quiser comer muito, fica com fome, pois não há outra opção de menu, comida à quilo ou outro restaurante. É só esse. Não sei como funciona para quem tem criança, mas acredito não ser muito diferente.
4. Não gostei da parada em Ponta de Areia, pois a praia é um depósito de lixo por todo o lado! Para um lugar turístico é vergonhoso. Olha só as fotos:

Fotos retiradas em Ponta de Areia. A própria população deposita enormes quantidades de lixo às margens da praia e dentro do mato. Parecia muito mais um lixão do que uma praia.
Exceto os contras, o passeio é legal, mas para quem espera mais, aconselho buscar uma opção que ofereça apenas a Ilha dos Frades, pois Ponta de Areia não vale a pena mesmo!
E sigo sendo turista na Bahia...